Centro Nacional de Paraquedismo, Boituva - São Paulo
(11) 98111-2233

Gestão de Informação de Segurança em Aeroportos

Um tópico importante quando falamos de gerir segurança no segmento aeronáutico é a forma como a organização distribui informações, fomentando conhecimento entre os agentes envolvidos na operação.

A ICAO (Internacional Civil Aviation Organization), agência da ONU responsável por gerir a aviação civil a nível mundial, em seu Doc. 9859 propõe três formas das organizações aeroportuárias gerirem informações.

PATOLÓGICA
BUROCRÁTICA
GERADORA
Informação
Escondida
Ignorada
Buscada
Mensageiros
Eliminados
Tolerados
Treinados
Responsabilidade
Dissimulados
Encapsulados
Compartilhadas
Reportes
Evitados
Permitidos
Recompensados
Falas
Encobertas
Desculpadas
Analisadas
Novas Idéias
Restringidas
Problemáticas
Bem Vindas
Organização Resultante
Organização Cognitiva
Organização Burocrática
Organização Confiável

 

(Quadro pag. 2-29 SMM ICAO)

Observando este conceito sob a perspectiva da operação de paraquedismo, a primeira dificuldade que encontramos é a própria organização. É diferente de uma empresa privada convencional, onde os agentes da estrutura organizacional podem ser levados a manter uma conduta segura por comando dos superiores sob uma hierarquia de poder. A organização em áreas de salto é tipicamente informal, sendo todos os agentes envolvidos na operação de paraquedismo responsáveis por agirem de maneira a dividir conhecimento com os outros agentes.

A organização ideal para fomentar uma operação segura é a Geradora. As informações são buscadas por todos, e tal prática é incentivada entre os atletas e instrutores. Mensageiros são treinados para disseminar conhecimento. As responsabilidades de segurança são compartilhadas por todos os agentes, uma vez que um problema de segurança pode afetar a operação inteira. Reportes sobre segurança são recompensados, e novas informações são bem vindas.

A estrutura resultante de uma organização geradora são agentes bem informados, motivados a buscarem mais informações e a nivelar conhecimento entre as pessoas envolvidas na operação…isso é sinônimo de Organização Confiável. E só compartilhando informação entre os agentes e capacitando-os em questões de segurança é que poderemos ter uma área verdadeiramente segura. Os agentes precisam ser conscientizados da importância de fomentar atitudes seguras e cada um fazer a sua parte para garantir a segurança do todo, especialmente pelo exemplo. Já dizia minha avó, de grão em grão a galinha enche o papo. Você faz sua parte?

Deixar um comentário