Centro Nacional de Paraquedismo, Boituva - São Paulo
(11) 98111-2233

Os Padrões de Pensamentos Perigosos

Todos nós sabemos que o paraquedismo é um esporte de risco, e que uma decisão ou ação incorreta pode ser fatal. Nem sempre podemos antever que nosso processo de julgamento foi falho, mesmo porque podemos ter apenas alguns segundos para decidir entre uma manobra bem executada e um acidente. O Ph.D. Shari Stamford Krause em seu livro sobre Segurança Operacional (Aircraft Safety, 2003, p.16) descreve cinco padrões de pensamento perigosos para a operação aérea.

 

Escala 1: Anti-autoridade

Esta atitude é encontrada em pilotos que ressentem qualquer controle externo sobre suas ações. Eles tem a tendência de desrespeitar normas e procedimentos. Frequentemente dizem que as regras não são para eles.

 

Escala 2: Impulsividade

Esta atitude é observada em pilotos que agem muito rápido. Eles tendem a executar a primeira ideia que aparece em suas cabeças, sem considerar todos os ângulos da questão. Costumam a dizer para si mesmo que devem agir depressa pois não há tempo a perder.

 

Escala 3: Invulnerabilidade

Esta característica é vista em pilotos que agem como se nada ruim fosse acontecer com eles. Muitos pilotos sentem que acidentes podem ocorrer com os outros, mas não com eles mesmos – porque se acham diferentes, mais espertos ou superiores. Esses pilotos tem mais chance de incorrer em riscos desnecessários. Suas últimas palavras geralmente são: “Não vai acontecer comigo”.

 

Escala 4: Macho

Esta atitude é encontrada em pilotos que continuamente tentam provar-se melhor que os outros. Independente dos motivos psicológicos para essa necessidade, eles tendem a agir com excesso de confiança e buscam objetivos difíceis de se alcançar apenas pela recompensa que receberão na forma de admiração. “Eu vou te mostrar que eu posso fazer isso!”.

 

Escala 5: Resignação

Essa característica é achada em pilotos que acreditam que tem muito pouco ou nenhum controle sobre as circunstancias. Eles podem pensar que não precisam agir por que não enxergam outras opções de resultado. Este tipo de piloto ainda pode negar o problema quando o mesmo é apresentado e acreditar que não é tão grave como parece. É improvável que ele tome as rédeas da situação, sendo que ainda podem aceitar conselhos ruins apenas para parecer uma pessoa amigável.

 

Com certeza, todos nós apresentamos esses tipos de pensamentos em algum momento de nossas vidas, isso que constrói em parte nossa personalidade. Mas em qual grau nós manifestamos estes padrões, especialmente quando em voo – ai está o verdadeiro perigo. O primeiro passo para evitarmos esses padrões de pensamento é reconhecer qual padrão nós estamos mais propensos a demonstrar, e se atentar sempre que reconhecer o efeito deste padrão nas suas ações. Quando conseguimos olhar para dentro de nós mesmos, nos vemos como humanos e passíveis de errar, começamos a jornada de observar nossos próprios defeitos e nos tornarmos atletas melhores e mais conscientes.

Deixar um comentário