Centro Nacional de Paraquedismo, Boituva - São Paulo
(11) 98111-2233

Túnel de Vento

O túnel de vento é um equipamento simulador de queda livre. O mesmo é constituído por uma câmara de voo, uma de espera e a mesa de controle. Ao realizar um treinamento, além de contar com o piloto, o voador conta também com um instrutor de segurança, e um coach contratado por ele. O piloto opera a máquina e controla a força do vento, o instrutor de segurança garante a segurança do treinamento e, o coach, é o profissional responsável por ensinar a voar. Em alguns casos o instrutor e o coach podem ser a mesma pessoa.

Existem duas modalidades hoje no esporte chamado de paraquedismo indoor: O treinamento de voo estático e o treinamento de voo dinâmico. O voo estático é o tradicional, horizontal e vertical, trocando de posição, porém sem sair do lugar. Já o dinâmico é sempre em movimento, sempre orbitando pelas laterais e pelas extremidades do túnel.

Dos cincos túneis existentes na América do Sul, quatro estão no Brasil, sendo dois em São Paulo (Wind up e Ifly), um em Brasília (Ifly) e um militar em Goiânia (SkyVenture).

Confira uma apresentação do Paulo Assis e Felipe Assis, instrutores da SkyRadical.

Paraquedismo

O túnel de vento tem o melhor custo benefício para se treinar o voo corporal que existe hoje, sendo a forma mais barata e eficiente para aprender voar a queda livre. O fluxo de ar do túnel é mais forte que no céu, portanto para voar no simulador é preciso ter um refinamento de voo muito maior. Além de um equipamento de melhor qualidade, pois dependendo do macacão ele pode inflar, abrir ou rasgar.

O treinamento também é mais eficiente por conta da atenção e participação do coach. Ele consegue interagir, participar e corrigir de forma mais presente e específica. Fazendo com que o túnel seja uma ferramenta muito valiosa em questão de aprendizado, com uma condição de treinar que não é possível na queda livre, podendo realizar exercícios diferentes, como fechar o olho para ver se consegue ficar parado no mesmo lugar ou se desequilibrando para tentar se equilibrar novamente, por exemplo.

A queda livre e o túnel possuem algumas diferenças. Entre elas, o túnel possui uma turbulência que a queda livre não tem, pois o vento não é natural, sendo o vento da queda livre mais “limpo”. Outra diferença é que na queda livre, se um atleta está voando com outra pessoa e uma delas está afundando mais rápido, eles se distanciam, o que não ocorre no túnel de vento.

Confira um compilado de treinos de voo no túnel de vento.

Treinamento na Rússia

O país de melhor custo benefício para realizar treinamento em túnel que existe hoje é a Rússia. No país o governo ajuda no subsídio do gasto de energia industrial, ficando mais barato o custo do túnel para o cliente final. Por conta disso a SkyRadical realiza duas ou três vezes por ano treinamento na Rússia. Os treinamentos (chamados de TunnelCamp) são em datas específicas, em que vão vários atletas que são atendidos por 3 ou mais coachs, permitindo um melhor desenvolvimento do aprendizado, já que todos os coachs possuem a mesma linhagem de técnica, porém perfís diferentes, podendo atender diferentes necessidades particulares do voador. O TunnelCamp permite também uma grande troca de informação entre os atletas e rotação entre os treinos, gerando melhor desempenho a todos.

* Matéria realizada em conjunto com o instrutor de paraquedismo e coach de túnel de vento Fernando Assis.

Posts Relacionados

Deixar um comentário